Desapega, meu filho!

Por acaso você já ouviu algo parecido com essas frases?
(E se você não ouviu uma dessa ainda. Não se preocupe que uma hora elas começam a aparecer.)

“Ah, não gostei desse azul. E se usarmos roxo?”

“Troca essa foto por essa que eu vou te mandar.”

“Adorei o layout, mas posso ver outra proposta? Eu até fiz um rascunho pra você!”

Sobe o sangue né? Por mais que negamos (ou tentamos negar), esse tipo de cenário infelizmente faz parte (da maioria) da realidade do mercado de criação atualmente.

Você cuida da peça com todo carinho do universo, alinha o texto com cuidado, arruma a foto mais bonita com o fotógrafo contratado e o cliente parece que não se encantou com a sua obra-prima. Por quê? 

Você demorou 2h para escolher a paleta de cores daquele projeto gráfico. Montou cada editoria com cuidado e o cliente em um e-mail trocou todas as cores e acabou com seu projeto editorial. Por quê?

Eu me fiz essa pergunta por alguns bons meses até que o caminho começou a ficar mais claro pra mim (obs: esse é o caminho que eu encontrei, o que não significa que ele esteja correto e muito menos que o seu deva ser o mesmo). O cliente não se encantou com a peça nem com meu projeto gráfico, muitas vezes não por maldade, mas por um simples motivo: você é o designer (ou publicitário) e não ele.

Você estudou, tem seus projetos paralelos, sabe tudo sobre teoria das cores e fechamento de arquivos. Seu cliente muitas vezes não. Por isso fica cada vez claro pra mim que na maioria dos casos nós fazemos os materiais para outros designers e publicitários verem, mas a entrega de fato pode não ser o que o seu cliente quer ou tinha imaginado na cabeça.

Por isso quando as alterações chegam na nossa mesa, qual nossa reação imediata?
“Que absurdo! O cliente não entende!”

Talvez não entenda mesmo, mas isso não é ruim. Afinal, estamos lidando a todo tempo com engenheiros, médicos, administradores e acionistas. São pessoas que não tem a mesma formação que nós tivemos. Já parou pra pensar como você avaliaria um projeto de engenharia por exemplo?

Agora, nesse ponto temos 2 caminhos para uma mesma pergunta: o material foi bem explicado e defendido?

– Se não foi, volte um passo atrás e repense a sua estratégia para o próximo projeto. Detalhe cada etapa do seu projeto para o cliente e todo seu raciocínio de como chegou naquele resultado.

– Se você fez tudo que pôde, aqui vai a minha dica: desapega, meu filho!

Se todas as recomendações foram feitas dos motivos do fundo ser azul, mas seu cliente insiste no roxo simplesmente desapegue. O que seu cliente precisa é de uma peça roxa e ponto final. Pensar assim facilita o nosso dia a dia, pois as frustrações começam a ficar mais leves e eventualmente desaparecem.

Deixe um pouco o ego de designer ou de publicitário de lado e comece a entender que situações como essa vão sempre fazer parte do seu cotidiano (claro que se você já é um freelancer com uma carteira fixa de clientes, isso tende a não acontecer) e quanto menos apego, mais leve e mais fácil fica seu trabalho. Com isso você passa a distribuir melhor sua energia nessa correria que é o mundo da criação.

Ah, então é só eu chegar no trabalho amanhã e fazer tudo exatamente do jeito que o cliente pediu? Claro que não, né?

Nosso trabalho ainda é e sempre deve ser encontrar soluções (sejam elas visuais ou verbais) para os problemas dos clientes da melhor maneira possível e com a máxima qualidade possível, mas a partir do momento que você desapega um pouquinho de certas situações, garanto que algumas coisas fluirão com muito mais facilidade.

Se você quiser se aprofundar nesse assunto, recomendo o livro “O fator VDM: um guia antidesastres em projetos criativos para profissionais” do Luis Marcelo Mendes, que foi a inspiração para esse post.

Photo via Visual Hunt

Anúncios

3 comentários Adicione o seu

  1. Chell disse:

    Singula, tu é minha inspiração hahaha
    Eu me estressava mais com isso, hoje em dia ligo mais o foda-se, vai ver é a gente amadurecendo né?

    1. singulano disse:

      Hahahaha Imagina!
      Eu ainda não estou 100% bom nisso, mas colocar isso na cabeça tem me ajudado bastante a fazer meu trabalho com mais calma!
      Com certeza estamos amadurecendo! 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s