Acom(u)dar

em

Desde o final de 2016 até o presente momento (e pensar que já estamos praticamente em junho!), um tema tem se mostrado muito presente na minha vida e na vida de amigos de profissão.

Se por acaso você já sentiu algum dos sintomas abaixo, você com certeza já sabe do que estou falando:
_Sensação de que o trabalho está fácil, praticamente mecânico;
_Não acontece (e você não está aprendendo) nada de novo;
_Os desafios não aparecem mais;
_Sua rotina dentro horário comercial é sempre previsível;
_O desânimo começa a bater.

Em uma área como a comunicação (mais especificamente do mundo do design gráfico e da direção de arte), a última coisa que você pode querer é se acomodar e esses pontos acima são alguns sinais (entre muitos) de que isso pode estar acontecendo. O problema é que muitas vezes os sintomas aparecem e você não percebe, ou quando percebe já é tarde demais.

Agora, existem “remédios” que aliviam esses sintomas e que já conversamos bastante aqui no blog, como a construção de repertório, trabalho em equipe, sair da sua zona de conforto…enfim. Muitos pontos que se aplicados diariamente praticamente anulam a chance de você se sentir estagnado. Isso porque você está sempre em movimento: aprendendo e crescendo (e sempre no seu ritmo, claro!). Essa é a fórmula do sucesso.

Contudo, para os casos que os sintomas são mais silenciosos ou que os remédios já não funcionam mais como deveriam, meu conselho é: não tenha medo de mudar.

Por isso meu trocadilho bobo no título. Ao invés de acomodar, mude.

“Ah Singulano, mas eu estou tanto tempo nesse emprego, será que consigo coisa melhor?”

Aqui vou te contar um segredo: todo lugar em que você for trabalhar na sua carreira profissional, vai ter pontos bons e ruins. Para mim, o que é mais interessante em uma troca de emprego é que em muitos casos, você é obrigado a mudar completamente o seu processo de trabalho por uma série de fatores: pessoas diferentes, fluxo novo, clientes novos, desafios novos e por aí vai.

Isso já é extremamente positivo para te dar uma boa alavancada e te afastar por mais um bom tempo de se sentir estagnado. Assim, você se motiva a aprender mais, repensar seu processo e buscar novas soluções, pois quando digo mudar completamente seu processo de trabalho, não me refiro a abandonar o que você já sabe, mas sim acrescentar novos olhares (mais uma vez, isso cai também na formação do seu repertório).

Claro, também tem os desafios de lidar com pontos de vista diferentes, conquistar novamente seu espaço e a confiança de uma equipe nova. Nada disso é muito fácil, sem dúvidas. Às vezes, pode até passar pela sua cabeça em desistir, pois realmente essa fase inicial em um novo emprego nunca é um mar de mil maravilhas, mas não desista.

Como diria um professor que conheci uma vez: “Você já está muito melhor em comparação com aqueles que estão sentados no sofá”.

Oras, não seja mais um sentado no sofá. Levante-se. Mude.
Vai ser ótimo pra você. Eu garanto.

Até a próxima!

 

 

Anúncios

1 comentário Adicione o seu

  1. Chell disse:

    “Você já está muito melhor em comparação com aqueles que estão sentados no sofá”

    Adoro rsss mandou bem.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s